Chica Barrosa

marielle (1)

Chica Barrosa, a rainha negra do sertão oitocentista

A violeira negra Chica Barrosa foi considerada a primeira mulher repentista do nordeste brasileiro. Seu nome de batismo é Francisca Maria da Conceição e ela nasceu na segunda metade do século XIX, no sertão paraibano, um local de grande efervescência poética, que foi um dos berços da cantoria e da literatura de cordel. Chica Barrosa era uma autora da oralidade, que entoava seus versos ao som da viola, por meio do improviso poético e de suas toadas. Segundo registros, a violeira costumava finalizar as suas apresentações com o seu famoso estribilho, com o qual cantava assim: “A negra Chica Barrosa/ É faceira e é dengosa”.

Chica Barrosa é uma das grandes autoras negras do século XIX. O seu nome e fragmentos de seus versos aparecem em antigos cancioneiros, antologias folclóricas e folhetos de cordel, mas também circulam por meio da memória e da oralidade, atravessando gerações. Trata-se de uma autora que nos mostra a importância da oralidade poética na cultura brasileira e na diáspora africana. Embora vivesse em um contexto bastante adverso, de relações escravistas e patriarcais, a cantadeira conseguiu erguer a sua voz e espalhar o seus versos por várias regiões, deixando a sua marca na história da cantoria. Ficou famosa entre os poetas pelo seu talento e irreverência ao ingressar na arte do improviso, um território dominado por homens. 

Ao longo de sua vida, a repentista percorreu diferentes estados da região do atual nordeste do país, espalhando sua poesia e enfrentando famosos cantadores da época, nos chamados “desafios de repente”, até ser brutalmente assassinada durante uma cantoria, tornando-se vítima de feminicídio. Como apontam alguns estudiosos, é possível que Chica Barrosa tenha sido uma das primeiras mulheres negras brasileiras a exaltar a sua cor e a sua raça por meio da poesia. Os fragmentos de seus versos e de sua trajetória foram estudados, recentemente, em dissertação de mestrado defendida no Instituto de Estudos Brasileiros da USP pela autora Mariana do Nascimento Ananias. 

Mesmo após tantos anos desde sua partida, a voz de Chica Barrosa e o seu legado continuam imortalizados na memória oral e a autora é exaltada como a pioneira e rainha negra do repente brasileiro.    

Fontes: 
ANANIAS, Mariana do Nascimento. Os desafios de Chica Barrosa: estudo dos fragmentos poéticos e biográficos de uma repentista negra da Paraíba Oitocentista. 2023. Dissertação (Mestrado em Estudos Brasileiros) - Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo.

PEREIRA, Geraldo Amancio. Chica Barrosa: o desafio e a história da primeira mulher repentista do nordeste brasileiro, ilustração de Jefferson Campos, 2023. 

Responsável: Mariana do Nascimento Ananias (Doutoranda em Literatura Brasileira - FFLCH/USP)